Zelenskyy da Ucrânia apela à unidade europeia; Reservistas russos sofrem pesadas perdas

‘Compartilhamos sua dor’: Putin se reúne com mães de soldados russos

O presidente Vladimir Putin se reuniu na sexta-feira com as mães dos soldados russos que lutam na Ucrânia, dizendo-lhes que ele e seu país compartilhavam sua dor.

Sentado com o grupo de mulheres ao redor de uma mesa com chá e bolo, Putin disse que entendia que nada poderia substituir a perda de um filho.

O presidente Vladimir Putin se reuniu com as mães dos soldados russos, dizendo-lhes que compartilhava de sua dor.

Colaborador | Getty Images Notícias | Getty Images

“Gostaria que soubessem que eu, pessoalmente, e toda a liderança do país, compartilhamos sua dor”, disse ele, de acordo com um clipe de televisão gravado visto pela Reuters.

“Entendemos que nada pode substituir a perda de um filho – especialmente para uma mãe. Compartilhamos essa dor”, acrescentou.

O clipe não mostrou imediatamente a resposta das mães aos comentários de Putin.

Centenas de milhares de soldados russos foram enviados para lutar na Ucrânia este ano, incluindo cerca de 300.000 reservistas que foram convocados em setembro em uma mobilização “parcial”.

— Karen Gilchrist

Ataques russos colocam milhões em dificuldades, diz chefe de direitos humanos da ONU

Membros da fila pública por comida ao lado de uma foto do grafiteiro Banksy na parede de um prédio destruído em 22 de novembro de 2022 em Horenka, Ucrânia.

Jeff J Mitchell | Getty Images

Pelo menos 77 civis morreram e milhões foram submetidos a dificuldades extremas desde que a Rússia começou a atacar a infraestrutura crítica da Ucrânia em outubro, disse o chefe de direitos humanos da ONU.

“Milhões estão mergulhados em extrema dificuldade e condições de vida terríveis por causa desses ataques”, disse Volker Turk em um comunicado, segundo a Reuters.

“Tomado como um todo, isso levanta sérios problemas sob o direito internacional humanitário, que exige uma vantagem militar concreta e direta para cada objeto atacado”, acrescentou.

Turk também observou que uma análise inicial de vídeos que pretendiam mostrar soldados ucranianos executando prisioneiros de guerra russos indicou que eles eram “muito provavelmente autênticos”.

— Karen Gilchrist

Rússia intensifica bombardeios em Kherson

Um homem observa a fumaça saindo de um ataque russo nos estaleiros Kherson em 24 de novembro de 2022 em Kherson, Ucrânia.

Chris McGrath | Getty Images

As forças russas estenderam o bombardeio da cidade de Kherson, no sul, matando sete pessoas e ferindo pelo menos mais 21 na última rodada de ataques, de acordo com um oficial.

O bombardeio de posições russas no rio Dnieper tornou-se uma ocorrência regular desde que a cidade foi libertada da ocupação russa há duas semanas.

O governador da região de Kherson, Yaroslav Yanushevych, disse que uma área residencial foi atingida por artilharia russa e fogo antiaéreo por volta das 17h, horário local, na quinta-feira, causando um incêndio em um prédio alto. Um parque infantil também foi atingido, disse ele.

— Karen Gilchrist

Zelenskyy da Ucrânia pede aos europeus que permaneçam unidos

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, fala durante entrevista à Reuters, em meio ao ataque da Rússia à Ucrânia, em Kyiv, Ucrânia, em 16 de setembro de 2022.

Valentyn Ogirenko | Reuters

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, pediu na sexta-feira aos europeus que permaneçam unidos diante da guerra na Rússia.

Falando por link de vídeo para uma conferência na Lituânia, Zelenskyy descreveu a tarefa como a missão número um da região.

“Não há divisão, não há cisma entre os europeus e temos que preservar isso. Esta é a nossa missão número um este ano”, disse ele.

— Karen Gilchrist

Reservistas russos sofrem pesadas baixas, diz Reino Unido

O Ministério da Defesa do Reino Unido disse que os reservistas russos, dois meses depois de serem mobilizados por Putin, “muito provavelmente” sofreram pesadas baixas depois de serem solicitados a cavar trincheiras no leste da Ucrânia.

“O Kremlin provavelmente ficará preocupado com o fato de que um número crescente de famílias de reservistas está preparado para correr o risco de ser preso por protestar contra as condições em que seus parentes estão cumprindo”, afirmou em sua atualização diária na sexta-feira.

Apoiadores de Putin usando cada vez mais ‘retórica genocida’

Apoiadores proeminentes do presidente russo, Vladimir Putin, estão usando cada vez mais “retórica genocida” ao discutir e demonizar os ucranianos, observam analistas, com alguns comentaristas pró-guerra aplaudindo o conceito de “liquidação” do estado moderno da Ucrânia.

Leia a história completa aqui.

O presidente russo, Vladimir Putin, em uma tela na Praça Vermelha enquanto discursava em um comício e um concerto marcando a anexação de quatro regiões da Ucrânia – Luhansk, Donetsk, Kherson e Zaporizhzhia – no centro de Moscou em 30 de setembro de 2022.

Alexandre Nemenov | Afp | Getty Images

Cerca de 70% de Kyiv continua sem energia devido ao bombardeio russo, diz Ucrânia

Moradores locais caminham perto de um poste de eletricidade caído e um prédio de apartamentos destruído durante o conflito Ucrânia-Rússia na cidade portuária sitiada de Mariupol, Ucrânia, em 25 de março de 2022.

Alexandre Ermochenko | Reuters

O chefe do governo regional de Kyiv reiterou que aproximadamente 70% do governo regional continua sem eletricidade.

Oleksiy Kuleba também disse que o número de mortos em recentes ataques aéreos russos aumentou para sete, de acordo com uma tradução da NBC News.

Foguetes choveram sobre Kyiv e várias outras cidades ucranianas na quarta-feira, menos de 24 horas depois que autoridades disseram que um recém-nascido se tornou uma das vítimas mais jovens da guerra do presidente russo, Vladimir Putin.

—Amanda Macias

50 valas comuns encontradas em cidades ucranianas recentemente libertadas, diz Kyiv

Esta fotografia tirada em 25 de setembro de 2022 mostra sepulturas vazias após a exumação de corpos na vala comum criada durante a ocupação russa em Izyum, região de Kharkiv, em meio à invasão russa da Ucrânia.

Yasuyoshi Chiba | Afp | Getty Images

O governo ucraniano disse que os investigadores encontraram 50 locais separados de valas comuns nas áreas recentemente liberadas de Mykolaiv e Kherson.

“Nos territórios liberados das regiões de Mykolaiv e Kherson, 50 locais de prováveis ​​enterros foram examinados”, escreveu o governo no aplicativo de mensagens Telegram, de acordo com uma tradução da NBC News.

“Equipes de busca identificaram os corpos de cerca de 200 vítimas”, acrescentou a mensagem.

O Kremlin negou anteriormente as alegações de que suas forças usaram valas comuns em áreas que já foram fortemente ocupadas.

—Amanda Macias

Carga de 79 navios esperando para transportar colheitas da Ucrânia

Navios, incluindo os que transportam grãos da Ucrânia e aguardam inspeções, são vistos ancorados na costa de Istambul em 02 de novembro de 2022 em Istambul, Turquia.

Chris McGrath | Getty Images

A organização que supervisiona a exportação de safras ucranianas disse que há um acúmulo de 79 embarcações esperando para serem carregadas.

O Centro de Coordenação Conjunta liderado pela ONU também disse que cerca de 110 navios carregados aguardam inspeção em águas territoriais turcas.

A Black Sea Grain Initiative, um acordo negociado em julho entre a Ucrânia, Rússia, Turquia e as Nações Unidas, aliviou o bloqueio naval da Rússia e viu a reabertura de três importantes portos ucranianos.

Desde a assinatura do acordo, mais de 490 navios transportando 11,8 milhões de toneladas de grãos e outros produtos alimentícios partiram para destinos em todo o mundo.

Kyiv já havia culpado Moscou por atrasar as inspeções e atrasar os movimentos dos navios.

—Amanda Macias

Leia a cobertura ao vivo anterior da CNBC aqui:

Leave a Comment