Tropas russas estupraram e torturaram crianças na Ucrânia, diz painel da ONU

Tropas russas estupraram e torturaram crianças na Ucrânia, realizaram um “grande número” de execuções e cometeram outros crimes de guerra, de acordo com uma investigação da ONU realizada por especialistas legais.

Criada pela ONU para investigar a condução da guerra, a Comissão Internacional Independente de Inquérito relatou suas conclusões assustadoras na sexta-feira em Genebra, descrevendo uma longa lista de abusos e atrocidades em quatro regiões.

“Com base nas evidências reunidas pela comissão, concluiu-se que crimes de guerra foram cometidos na Ucrânia”, disse Erik Mose, presidente da comissão de três membros, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU.

Mose, um juiz norueguês, disse que a comissão documentou casos em que crianças foram “estupradas, torturadas e confinadas ilegalmente”.

“Há exemplos de casos em que parentes foram forçados a testemunhar os crimes”, acrescentou. “Nos casos que investigamos, a idade das vítimas de violência sexual e de gênero variou de quatro a 82 anos”.

Crianças também foram mortas e feridas em “ataques indiscriminados” por forças russas usando armas explosivas, disse ele.

Mose disse que ele e seus colegas “ficaram impressionados com o grande número de execuções nas áreas que visitamos”.

A comissão está investigando execuções em 16 cidades e assentamentos e tem “alegações críveis sobre muitos outros casos de execuções, que estamos documentando ainda mais”, disse ele.

Os casos de execução muitas vezes apresentavam “a detenção prévia das vítimas, bem como sinais visíveis de execuções em corpos, como mãos amarradas nas costas, ferimentos de bala na cabeça e gargantas cortadas”, segundo Mose.

Para os ucranianos que foram detidos ilegalmente, as testemunhas “nos forneceram relatos consistentes de maus-tratos e tortura”, disse ele.

A atualização da comissão segue outras alegações de crimes de guerra de grupos internacionais de direitos humanos, governos ocidentais e autoridades ucranianas, incluindo a recente descoberta de um cemitério em massa na cidade oriental de Izyum.

A comissão também encontrou dois casos de “maus-tratos contra soldados da Federação Russa por forças ucranianas”, disse ele. “Embora poucos em número, esses casos continuam sendo objeto de nossa atenção”.

A comissão concentrou-se nas regiões de Kyiv, Chernihiv, Kharkiv e Sumy, visitando 27 cidades e assentamentos e entrevistando 150 vítimas e testemunhas.

Enquanto continua sua investigação, examinará a transferência forçada de pessoas e a suposta adoção acelerada de crianças, disse Mose.

Os Estados Unidos acusaram a Rússia de interrogar, deter e deportar à força centenas de milhares de ucranianos para a Rússia. Acredita-se que um número desconhecido de crianças tenha sido adotado por famílias russas. As supostas deportações representam um crime de guerra, violando as Convenções de Genebra, dizem autoridades dos EUA.

A Rússia negou ter cometido crimes de guerra e defendeu sua conduta na guerra desde que lançou a invasão em 24 de fevereiro. Autoridades russas dizem que os ucranianos que se mudaram para a Rússia viajaram para lá voluntariamente.

Leave a Comment