Trapview: uma armadilha de insetos movida a IA pode resolver um problema de pragas de US$ 220 bilhões?


Londres
CNN Negócios

As pragas destroem até 40% das colheitas do mundo a cada ano, causando US$ 220 bilhões em perdas econômicas, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). A Trapview está aproveitando o poder da IA ​​para ajudar a resolver o problema.

A empresa eslovena desenvolveu um dispositivo que captura e identifica pragas e atua como um sistema de alerta antecipado, prevendo como elas se espalharão.

“Construímos o maior banco de dados de imagens de insetos do mundo, o que nos permite realmente usar a visão computacional moderna baseada em IA da maneira mais otimizada”, diz Matej Štefančič, CEO da Trapview e empresa controladora EFOS.

À medida que a mudança climática faz com que as espécies se espalhem e interrompa os padrões de migração de pragas altamente destrutivas, como gafanhotos do deserto, Štefančič espera ajudar os agricultores a salvar suas colheitas com intervenções mais rápidas e inteligentes.

Os dispositivos automatizados têm sido usados ​​para monitorar uvas, tomates, azeitonas, árvores frutíferas e, na foto, brássicas.

Os dispositivos da Trapview usam feromônios para atrair as pragas, que são fotografadas por uma câmera interna. A IA cruza as imagens com o banco de dados da Trapview e é capaz de identificar mais de 60 espécies, como a mariposa, que aflige as maçãs, e a lagarta do algodoeiro, que pode danificar alface e tomate. Uma vez identificado, o sistema incorpora dados de localização e clima, mapeia o provável impacto do inseto e envia as descobertas aos agricultores por meio de um aplicativo.

Dependendo do terreno e do valor da colheita, uma única armadilha pode cobrir uma área de alguns hectares a mais de 100, de acordo com Štefančič. Os dispositivos vêm em várias formas e tamanhos, com o sistema adaptado para culturas e paisagens. Štefančič diz que um único inseto às vezes pode ser motivo de alarme. Em outros casos, centenas de insetos podem ser capturados e ainda não há motivo para preocupação.

O aplicativo da Trapview também é capaz de calcular onde e quando é melhor usar pesticidas. Štefančič diz que o Trapview pode reduzir significativamente o uso de sprays químicos e a necessidade de os agricultores visitarem seus campos. Ao reduzir as emissões geradas por agricultores que dirigem para suas roças e os associados à produção e transporte de agrotóxicos, a tecnologia também pode ajudar o clima, afirma.

O Trapview é um dos vários sistemas automatizados de detecção de pragas.

“Qualquer agrotecnologia e IA que possam ajudar a enfrentar os desafios da crise global de alimentos são bons”, diz Steve Edgington, líder da equipe de biopesticidas do Center for Agriculture and Bioscience International, uma organização intergovernamental sem fins lucrativos.

Cerca de 2 milhões de toneladas de pesticidas são usados ​​a cada ano, explica Edgington.

“É muito importante reduzir a quantidade de uso de pesticidas em terras agrícolas se quisermos produzir alimentos de forma sustentável e em meio aos desafios de pragas e doenças e mudanças climáticas”, acrescenta.

A Trapview emprega atualmente 50 pessoas e recebeu US$ 10 milhões em investimentos em setembro. Não está sozinho no uso de IA para ajudar no controle de pragas. A Pessl Instruments desenvolveu o iScout, uma armadilha para insetos movida a energia solar e um sistema de identificação por câmera, enquanto o FlightSensor da FarmSense detecta pragas e usa IA para identificá-las por meio do som de suas asas batendo.

Soluções como a da Trapview representam uma mudança em relação ao manejo convencional de pragas, que normalmente é baseado em abordagens reativas, em vez de proativas, de acordo com Buyung Hadi, oficial agrícola da FAO.

“As tecnologias preditivas podem facilitar a transição para uma proteção de cultivos mais sustentável se combinadas com soluções seguras e sustentáveis, como o controle biológico”, diz Hadi, alertando que a qualidade dos dados dessas tecnologias é fundamental.

“Deve-se ter muito cuidado ao formular as mensagens e recomendações que saem das tecnologias preditivas, para que não criem pânico entre os agricultores que possam desencadear o uso indiscriminado de pesticidas que gostaríamos de evitar em primeiro lugar”, acrescenta. .

A Trapview diz que vendeu mais de 7.500 dispositivos em mais de 50 países desde seu lançamento em 2012. Ela se concentrou na Itália, França, Espanha, Estados Unidos e Brasil, visando culturas tão variadas quanto uvas, tomates, azeitonas, frutas de árvores, brássicas , algodão e cana-de-açúcar.

Leave a Comment