Grupos de oposição afegãos indignados com funcionários da ONU fotografados sob a bandeira do Talibã

A ONU se desculpou depois que funcionários tiraram fotos sob bandeiras do Talibã durante uma visita ao Afeganistão.

“Estamos cientes desta foto que foi tirada enquanto o vice-secretário-geral se reunia com os líderes de fato no Afeganistão”, disse Stéphane Dujarric, porta-voz do secretário-geral da ONU, à Fox News Digital. “Seu segurança a levou para aquela reunião e estava esperando na porta ao lado.”

“A foto nunca deveria ter sido tirada”, enfatizou Dujarric. “Foi um erro e pedimos desculpas por isso.”

As imagens apareceram pela primeira vez na mídia social na noite de quinta-feira, mostrando o pessoal da ONU em Cabul tirando uma foto sob as bandeiras do Talibã.

9 afegãos açoitados em público por crimes sob os novos governantes do país

A vice-secretária-geral Amina Mohammad, a funcionária mais importante da ONU, visitou o Afeganistão em um esforço para abordar as preocupações sobre os direitos das mulheres no país – particularmente o acesso ao ensino superior e os limites das mulheres no local de trabalho.

A delegação é o grupo de autoridades mais graduado a visitar o país desde que o Talibã assumiu o poder em 2021.

Mohammad procurou falar com altos líderes do Talibã para convencê-los a mudar a direção das restrições, que colocaram em risco as operações humanitárias, já que as mulheres não podem participar, de acordo com a BBC.

PENTÁGONO SE ESQUIVA DE PERGUNTAS SOBRE DETENÇÃO DE ALIADO AFEGÃO QUE ATRAVESSOU ILEGALMENTE A FRONTEIRA: ‘ISSO É UMA VERGONHA’

Ali Maisam Nazary, chefe de relações exteriores da Frente de Resistência Nacional do Afeganistão, postou as fotos e as denunciou como “insensíveis”.

“O pessoal da ONU em Cabul tirando uma foto com a bandeira de um grupo terrorista questiona a imparcialidade e a integridade das Nações Unidas”, escreveu Nazary. “Pedimos gentilmente a Antonio Guterres que investigue este assunto e que a UNAMA News impeça tais ações insensíveis que podem manchar sua reputação.”

O ministro interino das Relações Exteriores do Talibã, Amir Khan Muttaqi, se reúne com delegados da ONU, em Cabul, Afeganistão, nesta captura de tela tirada de um vídeo divulgado em 18 de janeiro de 2023.

O ministro interino das Relações Exteriores do Talibã, Amir Khan Muttaqi, se reúne com delegados da ONU, em Cabul, Afeganistão, nesta captura de tela tirada de um vídeo divulgado em 18 de janeiro de 2023.
(Ministério das Relações Exteriores do Talibã/Divulgação via Reuters)

Nazary disse separadamente à Fox News Digital que as fotos eram “infelizes” e reiterou as preocupações com a imparcialidade e integridade da ONU.

“Isso ocorre quando os terroristas do Taliban estão permitindo que o Afeganistão se torne um centro para o terrorismo internacional e estão aumentando sua opressão sobre os cidadãos, especialmente as mulheres”, disse Nazary. “Tais atos nos levam a questionar a imparcialidade e integridade da ONU no Afeganistão, e pedimos gentilmente ao secretário-geral Guterres que investigue este assunto e evite qualquer movimento tendencioso por parte do pessoal da ONU que visite o Afeganistão no futuro”.

EX-DELEGADA AFEGÃ MORTA A TIRO DE TIRO DE TIRO EM CASA DE CABUL

Suhail Shaheen, o representante escolhido do Talibã na ONU e ex-porta-voz do Talibã, disse à Fox News Digital que as palavras na bandeira do Talibã pertencem a “muçulmanos de todo o mundo”.

Suhail Shaheen, porta-voz do Talibã afegão, fala durante coletiva de imprensa conjunta em Moscou.

Suhail Shaheen, porta-voz do Talibã afegão, fala durante coletiva de imprensa conjunta em Moscou.
(AP Photo/Alexander Zemlianichenko, Pool, Arquivo)

“As palavras escritas no pano branco são palavras nas quais os muçulmanos de todo o mundo acreditam, ou seja, não há outro Deus além de Alá, Maomé (que a paz esteja com ele) é o profeta de Alá”, disse Shaheen. “Pertence a todos os muçulmanos, não a uma nação ou governo.”

“Qualquer um que não acredite nisso não é chamado de muçulmano, ou diz algo contra isso, comete blasfêmia”, acrescentou.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O APLICATIVO FOX NEWS

A delegação da ONU se reuniu com o ministro das Relações Exteriores em exercício, Amir Khan Muttaqi, que enfatizou a necessidade de reconhecimento internacional para ajudar a capacitar o governo, juntamente com a remoção de sanções que limitam o financiamento do governo.

Chris Massaro, da Fox News, contribuiu para este artigo.

Leave a Comment